08/01/16

Carnaval

Acaba o Natal e já está tudo a preparar-se para o Carnaval...
Conversa com o Tiago:

- A nossa escola vai participar no Corso de Carnaval mas olha, nem vale a pena, eu não quero ir...

- Mas tens de ir... se não fores eu não posso ir trabalhar e tu gostas de comer todos os dias não é?

- ??? Não percebi

- Se não for trabalhar não tenho dinheiro, sem dinheiro não há comida.

___

- Mas então qual é o disfarce?

- É Zé qualquer coisa.

- ????

- Tem a ver com vinho.

- Zé Povinho?

- Sim é isso.

Luz nocturna

Nem consigo precisar no tempo quando é que a Cathy passou a exigir uma luz nocturna. Talvez há 2 anos, numa tolice concedida pelos meus pais numas férias quaisquer...

A ver se arrepiamos caminho... estou há uns dias a incentivá-la e a espicaçá-la com o argumento que os Exploradores não têm medo do escuro. Hoje tomei coragem de não a ligar e desta vez, ao contrário de tentativas anteriores com menos preparação, ela não pediu a luz.

07/01/16

Tempo...

Tantas memórias que para aqui vão!
Tantas que perdi porque perdi a paciência de as escrever...

02/04/14

- Olha ali Catarina, aquilo são estufas de morangos.
- Eu não sabia.

Para quem não sabe, esta resposta nunca teria sido dada há um ano :D

16/03/14

Parabéns filha

Hoje é o 10º aniversário da Cathy. 10! Meu Deus, tantos...

E este dia foi muito bom. Era dia de missa de escuteiros e cantaram-lhe os parabéns na igreja (grande Tiago que avisou de véspera os chefes). De tarde fomos dar uma voltinha mais os avós: ao parque do Seixo e depois a Santa Cruz comer um corneto (há tanto desejado). Ainda houve um desvio ao aeródromo porque o dia era dela.
Com ela já bastante ansiosa, voltámos para casa para cantar os parabéns. O seu desejo de aniversário era um bolo de chocolate e ela já não via a hora de o comer.
Como desde que foi a Madrid, está sempre a pedir um avião (e quer sempre um cada vez maior que o anterior) os avós deram-lhe um avião enorme. No fim perguntámos: "Então Catarina, queres um avião maior?" - "Não, quero um avião pequenino" a indicar o tamanhinho pretendido com os dedos. Esta miúda tem um grande sentido de humor, tipo, querem gozar comigo mas eu gozo ainda mais convosco. 

Tempo de balanço. Um ano volvido, tantas mudanças em tantos sentidos. Temos uma Cathy mais estável, mais presente, que se mete nas nossas conversas, ri connosco, fala cada vez mais, está connosco, olha para nós, goza-nos quando nos enganamos.
Nós que vivemos o dia-a-dia, às vezes refreamos o entusiasmo porque normalmente, os piores episódios ela guarda-os só para nós. Continua a ter os seus momentos mas, só de pensar no que passámos há precisamente um ano, não temos dúvida que muito caminho foi feito. De fora, todos são unânimes que a Catarina cresceu muito e sentimos um grande apoio da comunidade, sobretudo dos escuteiros, que tem sido muito importante para a sua integração.
O que terá contribuído para tudo isto? Não tenho dúvidas que o motor foi a medicação do Dr. Máximo que está a permitir, aos poucos, a Cathy mostrar o que é tão difícil revelar.

Agradeço a Deus pela evolução da Cathy e peço com todo o meu coração que me ajude a ver o caminho, me guie para as escolhas mais acertadas e comprometo-me a viver um dia atrás do outro, intensamente, confiante que Ele está comigo. 

22/11/13

1º balanço (da consulta com o Dr. Máximo)

Passaram-se quase 5 meses desde a 1ª consulta com o Dr. Máximo. Apenas 4 de medicação porque a pneumonia da Cathy fez-me atrasar o seu início, não fosse o caso de estar a encobrir sintomas da medicação com o tratamento da pneumonia.

Da medicação inicial, tivemos de ajustar por um período a dose de risperidona porque tornava a Cathy muito sonolenta a meio da tarde e aqui, o Dr. Máximo foi impecável porque respondeu-me sempre aos meus e-mails e monitorizou assim o ajuste da medicação.

Houve coisas que notámos logo no início e que têm gradualmente vindo a melhorar: a Cathy está muito mais presente, mais comunicativa, mais atenta e este sector será o que mais tem ganho com a medicação.

Em relação ao comportamento, é difícil de avaliar, de explicar... por um lado aguenta-se muito melhor em situações aborrecidas, como a espera para uma consulta. Parece também mais cuidadosa, regra geral, com os pares mas, quando lhe dá a travadinha, Jesus... e esta semana, quase parece estar em TPM (medo).

Na escola, as expectativas estavam altíssimas. De facto, no início das aulas, a Cathy parecia completamente diferente mas, o tempo revelou que em alguns aspectos as coisas ainda estão muito difíceis e quando no ano passado ela tinha reacções explosivas na sala, agora diz simplesmente que não quer trabalhar. Sim, é bom fazer uso do verbo mas não resolve o problema de estar cada vez mais atrasada nos estudos.

Tivemos agora a 2ª consulta. O EEG revelou significativas melhoras na fala e que a epilepsia está bem controlada mas reflectiu também o que nós estávamos a sentir em relação ao comportamento. Voltámos portanto à dose inicial de risperidona mas mais divida (manhã, tarde e noite em vez de manhã e tarde).

Começou agora a tomar também Somazina que tem demonstrado efeitos positivos na articulação- área em que a Cathy apresenta muita dificuldade.

04/11/13

Dias menos bons

Sinto-me cansada e, como de costume, à espera dos próximos episódios porque preciso que sopre um vento novo.

A Cathy anda enervada e enervante. Percebeu que brevemente tem de ir à consulta em Madrid e não fala noutra coisa o dia inteiro, com choro e birras porque quer ir andar no avião. Grita, bate, chora, sei lá... Muitas das vezes, sei que o faz à espera da nossa reacção mas só raramente consigo ignorar. Com a força que tem estou sempre à espera que parta alguma coisa ou se magoe a bater nela própria. Valha-me Deus, que isto passe depressa.

Em dias assim, é difícil acreditar que a medicação fez uma grande mudança nela mas a verdade é que fez só que... há-de haver sempre fases assim, complicadas... suspiro...

23/07/13

Segue-se uma otite

Depois de quase 3 semanas em casa, a Cathy tem alta da pneumonia e volta ao tempo de férias. 

Dura 3 dias, ao final do 3º dia chega a casa cheia de febre. Lá vou eu para as urgências, cheia de remorsos porque não deveria ter facilitado, por mais importante que fosse para ela estar com os colegas.

O médico examina-a e vai murmurando "huuum temos aqui uma otitezita"

"Yeeeessss!!" - penso eu para os meus botões - "não, não é normal esta reacção" volto eu a pensar mas as reacções de toda a gente foram mais ou menos do género

"ahh, ainda bem que é uma otite"

"boa, é só isso"

"que sorte, é só uma otite"

Viva o optimismo! Foi só uma simples otite que tirou a última semana com os colegas à Cahy e que me lixou a semana de férias no Algarve. É bom ser feliz com o que temos!!!

Medicação - o início

Ainda sobre a consulta com o Dr. Máximo. 

Foi precisamente quando regressámos de Madrid que se diagnosticou a pneumonia e como queríamos ter a correcta noção dos efeitos secundários decidimos adiar o início da medicação.

Pelo EEG que fez, ele diagnosticou um foco epiléptico na zona que processa a linguagem. A presença desse foco epiléptico impede que o cérebro desenvolva essa área. 

Assim, além da Risperidona, está também a fazer medicação para a epilepsia. 

Temos pouco mais de uma semana de medicação, impossível tirar conclusões. Ela anda mais calma mas já estava a atravessar uma boa fase.

Em breve, cenas dos próximos episódios.

03/07/13

Ainda a pneumonia

Hoje a Cathy apanhou-nos a falar sobre se poderia ir para o tempo de férias e vem logo dizer que quer ir ter com os colegas.

Tentamos explicar que tem dói-dói. Assim que percebe que é por ainda ter muita expectoração, corre logo para a casa de banho para a puxar e cuspir.

Tadita. Assim se vê que quer mesmo muito ir... Ficamos tão tristes :(

28/06/13

Pneumonia

Já há alguns dias, a Cathy chegava ao fim do dia e tinha febre. Ia para a cama com um Ben-u-ron e passava o dia seguinte a correr e a saltar até chegar à noite novamente com febre.

Andava assim desde 5ª feira. No domingo resolvemos que ninguém saía de casa para ver se a febre ia embora e de facto foi. Em casa "sossegada" chegou à noite sem febre. Retomamos a vida normal e volta a aparecer a febre. Acabei por minimizar porque na 3ª tínhamos de ir a Madrid e ela voltou a acordar bem só que, chegadas a casa, com o calorão insuportável que se sentia, a rapariga tremia que nem varas verdes. Fui a ver: 39,2 ºC que mesmo depois de um banho com água tépida subiu para 39,6 ºC. Mas que grande susto, não estou nada habituada a estes febrões.

Demorámos bastante tempo nas urgências, a Cathy teve de fazer análises ao sangue e um Rx mas portou-se 5 estrelas, fiquei tão orgulhosa dela. 

Eu estava de rastos, com uma enxaqueca brutal e dores no corpo mas quando o médico disse que ela tinha pneumonia nem me lembrei de nada disso. 

Enfim, agora que chegou o Verão, estão os macaquinhos presos em casa porque pelo menos durante 1 semana a Cathy tem de andar bastante resguardada. Ainda ontem tentou entrar em correrias com o mano e foi logo para o sofá sem forças.

31/05/13

Uma aventura em Madrid

Esta 3ª feira fomos a Madrid a uma avaliação neuropsicológica, para preparar a consulta com o Dr. Maximo.

Fui só eu e a Cathy e ia bastante apreensiva. Por duas ou três vezes na semana anterior tinha abordado o tema do avião e a resposta era "NÃÃÃOO!!". Decidi mudar a estratégia e não falar mais do assunto mas fui bem munida de cartõezinhos a explicar o autismo não fossem pensar que eu a estava a raptar. 

A viagem começou cedo, a Cathy custou a acordar e quando ainda estava meio a dormir levou com a notícia bombástica da avó que ia andar de avião... desatou a chorar...

Já atrasadas, fui a "voar" para o aeroporto. Achava que tinha a lição bem estudada mas... meti-me pela estrada errada e vi-me perdida na encarnação, a 30 minutos de acabar o embarque. Ai a minha vida! Mas o Senhor estava comigo e o atrevimento também, vi um carro da polícia e perguntei como é que ia para o aeroporto. Um deles fez um gesto do género "hiii, hás-de lá chegar hás". Juntei as mãos em súplica e o outro mais simpático disse-me para ir atrás dele. E lá fui, hiper-atrasada a andar dentro dos limites de velocidade  dentro das localidades e a rezar para chegar a tempo. 

Dei facilmente com o parque que queria e lá fomos a correr para apanhar o autocarro para o terminal 2 (primeiro tivemos de descobrir onde o apanhar). Já dentro do autocarro, faltavam uns 15 minutos para acabar o embarque. O motorista no paleio e eu a rezar até que outro passageiro perguntou se demorava muito. Tal como eu, ia atrasado. O motorista aproveitou para dar uma lição de moral "sabia que tem de estar cá 1 hora antes do embarque? Ah pois é..." mas vá lá, teve compaixão e lá fomos. Pensava eu que com a simplicidade do low cost nos levassem directamente ao avião quando vejo uma fila a serpentear para passar nos seguranças. Aaaargh!

Foi stressante mas conseguimos e não fomos as últimas a entrar. Quase, mas não fomos. E porquê, porque embora a Cathy estivesse a gritar "não tem medo", ela estava mesmo cheia de cagufa mas ao mesmo tempo ansiosa para ver onde levavam as escadas de maneira que as pessoas abriram caminho para nós passarmos, rsss, rsss

Estávamos dentro do avião. Fase 1 superada!

Na descolagem e até o avião estabilizar a Cathy estava muito assustada e a dizer "não tem medo", "quero ir para o chão" mas quando estabilizou ela também acalmou e o mp3 ajudou no resto da viagem que até é bem curta.

Fase 2 superada e daqui para a frente não houve mais stress.

A consulta correu bem, foram todos muuuito simpáticos e profissionais. Os testes já não correram tão bem o que no fundo reflecte a razão de nós lá termos ido. O cansaço que a Cathy tinha pode ter ajudado um bocadito à falta de colaboração mas nunca ela teria aderido àquelas tarefas.

O regresso foi bem mais tranquilo, e com tempo. Fomos das primeiras a fazer o embarque e a Cathy impaciente só dizia "quero ir lá para cima" LOL

13/05/13

Um mimo à avó

Ontem à hora do jantar diz a Cathy

- Quero o Alvin.
- A esta hora? Não pode ser amanhã é dia de escola!
- Amanhã nã há escola.
- Então... amanhã é 2ª feira, há escola sim. É dia de piscina.
- Se não há escola também não há piscina e assim os avós não vêm - acrescenta o João
- E então queres escola ou não?
- Sim.
- Queres ir à piscina é?
- Quero a avó!!!

08/05/13

Hora de dormir... 

conto-lhe a história, dou as boas-noites e canto uma canção. Desta vez não tenho tempo para ficar mais um pouco porque ainda falta deitar o mano e já vou atrasada para uma reunião.

Regresso pouco mais de 1 hora depois. "Ela adormeceu bem?" - "Ainda há 10 minutos chamou por ti"

Chego-me à beira dela "Mãe!!!" - "A mamã está aqui. Faz ó-ó"

Sente a minha mão fria e envolve-a com o lençol para me aquecer e eu fico a apertá-la como sei que ela gosta. Em menos de 10 minutos a respiração acalme e ela dorme.

Dou por mim a pensar se mereço tamanho amor.

03/04/13

A febre do Alvin volta a atacar

Primeiro foi o Tiago. Chegávamos ao fim de semana e já sabíamos que ia ser Alvin e os esquilos 3 em loop. Aquilo é que era uma paixão.

Agora é a Cathy! Nunca antes ela tinha sido capaz de estar sentada a ver um filme praticamente sem interrupção. E com que atenção que ela vê o filme!!! Não temos dúvidas que ela o está a seguir, a compreender e a gostar.

Inédito. Três vivas para o Alvin e os esquilos 3

VIVA! VIVA! VIVA!

Nota: Também lá tenho o 1 e o 2 mas o 3 é eleito o melhor e a mãe aprova ;)

Vida eterna

Aproveitando a temática, estava a falar com o Tiago sobre a vida eterna e ele começa a fazer beicinho.
Puxei por ele a tentar perceber a razão do amuo e o problema não era morrer mas precisamente a vida eterna.
- Então mas qual é o problema? Na eternidade somos felizes!!!
- Sim, está bem... Mamã tu não percebes. Lá não há playstation! O que é que a gente faz?

20/03/13

5 dias é q.b.

Estavam as férias da Páscoa a aproximar-se e já a Cathy dizia que queria ficar 5 dias em Rio de Mouro.
Assim foi, no sábado os meus macaquinhos foram para os avós. Nós também lá dormimos.
No domingo quando me ia embora perguntei à Cathy:
- Vais ficar 5 dias nos avós?
- Não. 4 dias.

Embrulha que 1 já passou e ela não anda a dormir.

Hoje a minha mãe decidiu-se a sondar se ela queria ficar mais tempo ou se já estaria farta e queria ir embora mais cedo.

- Quantos dias ficas em Rio de Mouro?
- 1
- Queres ir já para ADC?
- Não.
- Queres ficar mais 2 dias?
- Não.

Só falta dizer: Meus amigos, é cinco dias e ponto final. Eu decidi! Qual foi a parte que não perceberam?

13/03/13

Provas de amor

Por vezes surgem alguns imprevistos que me impedem de chegar a casa a horas decentes e tem de ser o pai a por os meus macaquinhos na cama.

Ao Tiago, explico o porquê de chegar tarde, ele fica triste mas compreende. Com a Cathy é mais complicado. Ela chama por mim, às vezes choraminga e fica desinquieta. 

Telefono sempre para lhes dar um beijinho mas das últimas vezes optei por nem falar com eles porque aí é que a Cathy desatava a chorar.

O coração fica apertado mas só de um lado porque do outro rebenta de alegria. 

05/03/13

Gazeta

Toca o telefone, uma chamada da escola do Tiago:

- Mãe, o Tiago queixa-se muito com dor de garganta e nós vimoslá  uns pontinhos brancos. Assim que puder venha cá buscá-lo sim?

- Oh diabo pontinhos brancos! O Tiago não é nada disso, o pai vai já buscá-lo.

Telefonei ao pai, já a ver as promessas a andar para trás e ele foi buscar o doentinho. Mais tarde telefono para saber como ele estava.

- O Tiago está óptimo! Não pára um minuto nem se se cala...
- Mas não vês pontinhos brancos na garganta?
- Não vejo pontinhos nenhuns
- E tu que visses... bem pode ser que não seja nada...

Chego a casa, o miúdo vendia saúde e também não vi pontinhos nenhuns (e claro que levo com o João pelo "tu que visses")

Na manhã seguinte, ao chegar à escola pergunta a funcionária

- Então Tiago o que é que aconteceu que não te vi ontem à tarde
- Parece que lhe doía a garganta e eu fui buscá-lo mais cedo mas olhe, passou.
- Ah... tem graça... ele realmente antes do almoço perguntou-me caso lhe doesse a garganta se telefonávamos ao pai ara o vir buscar...

Assim num suponhamos...

Temos escuteiro

Este domingo o Tiago fez a promessa e ganhou o tão desejado lenço amarelo.

Estava feliz e orgulhoso, foi um passo importante e agora é honrar o significado do lenço.



20/02/13

Sentir as limitações

Nestes últimos tempos a Cathy tem passado uma fase mais agitada em que se enerva facilmente e descarrega onde calha: nela, nos outros, nas coisas...

Até sinto que essa fase está a passar lentamente mas ao mesmo tempo noto que ela se sente frustrada por não conseguir falar como o tagarela do irmão. Há situações muito complicadas como por exemplo nas viagens de carro com o Tiago sempre a querer falar de tudo e mais alguma coisa e a Cathy irritada fala por cima dele (tipo: "blááá, blááá..." sem dizer nada) ou pior que isso bate-lhe e no carro o Tiago não tem como fugir.

Esta frustração mais não é que a tomada de consciência cada vez maior das suas dificuldades. Tenho esperança que isso a impulsione a falar mais e a verdade é que até a sentimos com muito mais intenção comunicativa e uma melhor articulação das palavras.

Vamos aguardando, vivendo um dia de cada vez, exultando e agradecendo a Deus todas as suas conquistas.

11/12/12

O Tiago entra no meu quarto quando me estou a vestir e começa logo com risinhos tolos.

- O que foi, porque é que te estás a rir?

- A mamã tem mamas grandes, rsss, rssss

É tão bajulador o meu filho!

05/12/12

Jesus no coração

É um conceito difícil de entender.e o Tiago desabafou muito confuso:

- Mamã, o coração está no esqueleto! Olha: temos aqui a pele (apontando para o braço), por baixo está a carne e depois os ossos!!! Como é que eu posso escutar Jesus no coração?

O poder do toque

No dia seguinte, percebo que o prato que tinha posto por baixo da coroa estava no chão, o que queria dizer que a coroa tinha sofrido algum acidente só possível de ser causado pelo Tiago.

Negou até poder - até eu ficar mesmo chateada - e depois lá admitiu.

Então o que aconteceu?

- Eu não percebo mamã, eu só fiz assim  - gesto do dedo a tocar ao de leve na coroa - e ela caiu! E como vocês não são meus criados, apanhei e limpei tudo sozinho.

Coroa do advento

Esta sábado houve reunião na catequese para cada família fazer em conjunto a coroa do advento.

Levei a base redonda preparada e o material para fazermos a nosso coroa. Damos início ao trabalho ainda comigo convencida que a coisa ia correr bem mas logo me desenganei com a Cathy a espetar os dedos na base verde e o Tiago a querer espetar tudo o que encontrava na mesa.

Apelei à calma, fiz cara de má e ainda consegui rodear mais ou menos a base com as verduras até que disse para mim própria - desisto- e deixei a coroa do advento entregue à decoração selvática dos macaquinhos. Se era para eles estarem envolvidos, então que ficasse ao gosto deles.

No fim, havia coroas muito bonitas, arranjadinhas e havia a nossa que nada tem a ver com as outras mas, olhando bem, até está bonita



e mais bonitos ainda os manos que a fizeram!


15/11/12

E para começar bem o dia, a Cathy hoje deu-me outro presente.

Estava a enche-la de beijos enquanto fazia as perguntas normais do "dormiste bem, tiveste sonhos felizes" etc sem ter resposta e sem precisar porque o sorriso nos olhos dela dizia tudo. 
Continuei a dar-lhe mais beijinhos e abracinhos, a dizer "gosto de ti" quando ela me diz "Gosto da mamã" e a seguir reformula e diz "Gosto de ti".

Queijinhos frescos

A Cathy não gosta de queijo fresco e parece que lhe faz impressão ver-nos a comer.
Para a provocarmos oferecemos sempre um bocadinho e ela responde sempre prontamente para não termos dúvidas "Não, não!"

Ontem estava a comer queijo fresco e ofereci-lhe um bocado.

- Não.

No instante em que estranhei não ter ouvido um "Não, não!" ela continua

- Não gosto de queijo.

Ouvi bem? Troquei um olhar com o pai para saber se ele ouviu o mesmo ou se estava a ficar maluca e ele confirmou a surpresa. 

Isto aconteceu pouco depois do "Sim"

Sim!

Fiz uma pergunta qualquer à Cathy a que ela me respondeu "Sim".

Sim? Aquela resposta pareceu-me estranha e foi-me ecoando na cabeça.

Sim! Mas então, claro que é estranho, a Cathy nunca respondeu assim, de forma tão natural. Quando a resposta é negativa, é de esperar que ela nos diga "não" mas, pela afirmativa, a Cathy responde repetindo a pergunta, do género:
- "Queres água?"
- "Queres água."

E ficamos a saber que ela quer água.

Mas ontem, fiz-lhe uma pergunta e ela disse-me simplesmente SIM.

05/11/12

Bela adormecida

Na 6ª tive em casa uma Bela Adormecida.

Telefonaram da escola, sem saber dizer exactamente o que a Cathy tinha mas que estava a dormir pelos cantos, sem energia.

Chegou a casa lá pelas 17 h. Foi logo aninhar-se no sofá, tive de a arrancar de lá para lhe dar banho enquanto conseguia. Às 17.30 aterrou no sofá e dormiu, dormiu, dormiu como nunca visto. Comeu uma sopa muito à custa, voltou a dormir para o sofá, transferi-a do sofá para a cama depois de estar a dormir há 3 horas a pensar que lhe ia dar a espertina, qual quê! Dormiu até às 6,30 h, o que dá mais de 13 horas de sono. Recorde absoluto!!!

E acabei por não saber o que lhe aconteceu...

Pata tenra

Depois de muitas tentativas e de eu até já ter desistido, o Tiago concordou em ir à 1ª reunião dos escuteiros, só para ver se gostava.
Chegámos um pouco antes da hora, e o Tiago já estava a querer desistir, ao ver tanta cara desconhecida. Convenci-o a ficar já que lá estava, se não gostasse não voltava.
Quando o chefe foi falar com ele, disse logo que queria ficar comigo mas o chefe foi um bacano e em duas palavras fe-lo mudar de ideias e eu vi-me de repente do lado de fora da porta.

(sou descartável?)

Pouco tempo depois sai de lá uma chefe, olha para mim tipo "então? ainda cá está?"
- Eu não deixei sequer o meu nº se precisarem de falar comigo...
- Ah, vai correr bem, não se preocupe

E de repente fiquei com 1 hora e meia livre que serviu para fazer uma tarte de coco e para ficar uns 20 minutos à seca já que fui mais cedo," não fosse o diabo tece-las".

Quando acabaram as actividades, O Tiago estava eufórico, nem punha em causa não ficar nos escuteiros porque tinha adorado. Domingo foi a cerimónia do início das actividades e o Tiago é oficialmente um Pata tenra!

Gosto de ti

Foi assim, sem mais nem menos... a Cathy acaba de subir as escadas, vira-se para mim e diz:

Gosto de ti, mamã.

Fiquei sem ar. Por uns segundos, fiquei a integrar o que ela disse, se teria ouvido bem e depois explodi de alegria. Arrependi-me de tanta efusividade LOL se calhar tão depressa não o voltará a dizer para não correr o risco de voltar a ser amassada daquela maneira.

Foi tão bom, tão natural. Como posso não acreditar?

29/10/12

Um susto valente

Quando dormem em casa dos avós, o Tiago adora ir ao pão com o avô e ele, qual avô babado adora mostrar o netinho tão querido (!) e ouvir os elogios.

No domingo lá iam os dois ao pão, mas como a cadeirinha não estava no carro, a minha mãe foi ajudar a po-la. A Catarina vai à porta e vê a minha mãe no carro com eles os dois e desata a correr para dentro de casa. A minha mãe foi dar com ela em pânico já todo nua, a revirar uma gaveta da avó à procura de roupa para vestir e ir com eles.

Que susto, coitadinha!!!

20/09/12

TPC

E quem é que ontem chegou a casa e foi direito para o quarto fazer os TPC's?
Caprichou bem e no fim pediu ajuda para escrever o nome manuscrito.

Ainda há esperança (suspiro)

18/09/12

Padrinhos

Ao que parece, no dia da apresentação, a cada menino do 1º ano foi-lhe atribuído um padrinho.
O Tiago não quis falar do assunto por mais que eu tentasse.

- Mas qual é o problema? Foi uma menina? É uma madrinha em vez de padrinho?
- Não.
- Mas então? Vá lá, conta...
- Eu não quero padrinho. Já tenho um. - responde muito irritado a por um ponto final nesta ideia parva de padrinhos de palmo e meio.

LOL

Quem é que se está a babar?

O 1º dia de aulas

Passadas as apresentações, ontem foi o 1º dia de aulas do Tiago.

Ansiosa, lá estava eu às 17.30 à espera dele no portão.

Aparece com uma cara mais-ou-menos lixado porque a pasta estava pesada (esqueceram-se de lhe tirar os livros) e diz-me Hello - tinha acabado de ter inglês.

- Ah, já estás a aprender palavras novas. Mas e então de manhã, como foram as aulas?

- São uma SECA e são IRRITANTES.

- Mmm, vamos para o carro (acho que todos os pais que estavam por perto ouviram as primeiras declarações bombásticas do Tiago)

A sério, o que é que eu faço com este puto?
Num destes dias das férias, fomos ao Scalabisport em Santarém porque a Cathy já lá tinha estado no tempo de férias e adorava aquilo.

Saímos bem cedinho com o farnel e só voltámos ao fim do dia mesmo a tempo de tomar banho, jantar e xi-xi-cama. Foi um dia bem passado.

A Cathy quis andar nos escorregas. Primeiro foi às pistas fofas e não quis voltar. Ainda assim não descansou enquanto não foi ao escorrega grande. Tive imenso medo que saísse de lá disparada mas com as nossas instruções de ir sentada acabou por ir tão devagar que já estávamos a ver que era preciso ir alguém lá empurrá-la LOL. Não se assustou mas também não quis voltar.

O Tiago andou umas 3 vezes nas pistas fofas até que na última foi à doida, virou-se e apanhou um cagaço que não andou em mais nenhum escorrega.



Regressados a casa o Tiago vem ter comigo ultra-indignado:

- Mamã, vais-me explicar porque é que a minha cama não está feita!!!

(Olhó piolho!!! até fiquei sem voz)

- Olha Tiago, não está feita porque eu fui à piscina bem cedinho contigo e não tive tempo. Mas podemos resolver isto facilmente. A partir de hoje tu fazes a tua caminha e assim deixa de haver problema.

- Eu??? Não... então porquê? Eu não sei...

Tarde de mais, não devias ter falado, capítulo fechado.
Lá em casa a mamã já só faz a cama de lavado de resto ele que se amanhe. Explico as vezes que for necessário mas ele é que a faz. Já a pulga tem catarro!!!

09/07/12

Mano e mana a acelerarem nos carrinhos de choque.

Ele assumiu logo as funções e ela delirou. Tão bom experimentar coisas novas!




É pena o vídeo ter pouca definição. Adoro a voz de fundo a dar instruções.



27/06/12

Se o meu rabo falasse

Estava a lavar a sala e pedi ao Tiago para ir para outro lado.
Ele vira-se para ir embora mas espeta o rabo para mim, com as mãos a abrir e fechar as "nalgas" e diz qualquer coisa que nem percebi. Indignada, largo a esfregona e dou-lhe um sermão que eu não tenho o tamanho dele e que o que ele fez é uma grande falta de respeito.

Volto para a esfregona e ele fica todo acabrunhado. Só dura uns segundos até ele se sair com mais uma preciosidade

"Mas que culpa tenho eu se o meu rabo fala?"

Juro que tentei mas desta vez não consegui reprimir um sorriso que cada vez tomava mais forma nos meus lábios, logo o sacaninha bem se apercebeu e começou a fazer a sua carinha linda vitoriosa que fez com que me desatasse a rir.

10/06/12

Começaram a cair os primeiros dentinhos de leite do meu bebé!

O 1º caiu a 31.maio, na escola (snif). Assustado, disse para a Fernanda que bateu com a boca LOL mas logo ficou todo importante porque estava a ficar crescido.
Não achou nada má a história da Fada dos Dentes que lhe deixou 2 € no lugar do dentinho que ficou debaixo da almofada mas no chão, ao lado da cama já que ele não consegue dormir com almofada.



O 2º caiu hoje mesmo. Ele ainda não se habituou à ideia e antes de percebermos o que tinha acontecido achámos que tinha feito grosso disparate porque ficou muito nervoso a esconde-lo atrás das costas.
- Mostra a que tens nas mãos.
- Não tem nada - respondo eu.
Já o tinha deixado cair para o chão. Mas o João tinha-o visto a por alguma coisa na boca portanto tinha razão para estar preocupado.
- Mostra a boca.
- Ahhh! Caiu mais um dente!!!
Toca a procurá-lo.

Ainda a montanha-russa