23/07/13

Medicação - o início

Ainda sobre a consulta com o Dr. Máximo. 

Foi precisamente quando regressámos de Madrid que se diagnosticou a pneumonia e como queríamos ter a correcta noção dos efeitos secundários decidimos adiar o início da medicação.

Pelo EEG que fez, ele diagnosticou um foco epiléptico na zona que processa a linguagem. A presença desse foco epiléptico impede que o cérebro desenvolva essa área. 

Assim, além da Risperidona, está também a fazer medicação para a epilepsia. 

Temos pouco mais de uma semana de medicação, impossível tirar conclusões. Ela anda mais calma mas já estava a atravessar uma boa fase.

Em breve, cenas dos próximos episódios.

2 comentários:

Helena disse...

Oi, vocês já tinham feito EEGs em Portugal?
Tinham já alguma suspeita de epilepsia?

Estrumpfina disse...

Olá. Tínhamos feito há cerca de 1 mês o EEG com sono não induzido, como mandam as regras, e os médicos que o estudaram não detectaram nada.
O EEG foi feito precisamente na sequência de algumas ausências que a Cathy fez na escola e 1 em casa no espaço de 2 dias. Confesso que fiquei descansada, embora um bocado sismada porque as ausências teriam de ter uma explicação.
O Dr. Máximo detectou logo o foco epiléptico.
Acredito que não seja uma epilepsia flagrante, até porque as ausências não se repetiram mais mas... estava lá.